Os donos de cães sempre souberam – ou pelo menos suspeitaram – da capacidade de seus amigos de quatro patas em poder reconhecer a natureza mais profunda de um estranho. Agora, no entanto, vários estudos mostram, indubitavelmente, como os cães são capazes de distinguir uma pessoa confiável ou “boa”, de uma pessoa não confiável ou “má”. E não para por aí: quando o animal entende o tipo de pessoa que está à sua frente, reage de maneira diferente.



Resultado de imagem para cachorro cismado

A equipe liderada por Akiko Takaoka, da Universidade de Kyoto, realizou um estudo com 34 cães, testados em duas situações diferentes em que o proprietário pedia a ajuda de dois colaboradores. Na primeira cena, o dono recebia a ajuda solicitada de um dos dois assistentes, enquanto na outra cena a ajuda era negada; nas duas situações, o segundo assistente permaneceu impassível. Todos os cães aceitavam a comida posteriormente oferecida por aquele que ajudou o seu dono, e também da pessoa que permaneceu passiva, mas eles recusaram a comida dada por aqueles que não quiseram ajudar. 

Resultado de imagem para cachorro cismado

Os resultados da pesquisa, publicada no Animal Cognition Journal, mostram que “os cães têm uma inteligência social mais sofisticada do que pensávamos: essa inteligência social evoluiu seletivamente em sua longa história de vida com os humanos”, segundo Takaoka.



Para o colega John Bradshaw, da Universidade de Bristol, o estudo também mostra que os cães adoram ser previsíveis. De fato, embora tenham curiosidade sobre novidades, esses animais não apreciam irregularidades e inconsistências, pois não sabem como reagir: se a situação de incerteza se torna constante, desenvolvem estresse, medo e agressão. Na verdade, os cães são “muito sensíveis ao comportamento humano”, mas “vivem no presente”, ou seja, não são capazes de formular pensamentos abstratos: isso significa que eles são baseados em experiências repetidas, demonstradas ao longo do tempo, diz Bradshaw.

Dog, Reh Pinscher, Pinscher, Aggression, Growl, Brown

Uma declaração que o fundador do Duke Canine Cognition Center, Brian Hare, confirma quando ele diz que os cães “avaliam as informações que fornecemos com base na confiabilidade em ajudá-los a alcançar seus objetivos”, e não só, ele vai além e explica como os cães tendem a ignorar até mesmo os gestos de um membro de sua “família humana”, se não forem claros, e usem sua própria memória para procurar um antecedente que responda de maneira coerente. Então, se induzido ao erro, até mesmo o seu cão não vai confiar ou obedecer você.

Se o seu cão não gosta de alguns amigos ou conhecidos, confie no seu faro. 😉




Compartilhe esse artigo

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp